ORAÇÕES

ORAÇÕES MARIANAS

I - Maria, tu representas...


Maria,

tu representas a fé como juventude do coração,

como beleza e espera disponível do que virá.

Tu és a terra que gerou Cristo,

a terra fértil, onde a semente frutificou cem vezes mais.

Ajuda a Igreja a ser um espaço

de quietude, de recolhimento e de silêncio.

Ensina-me a estar diante do Senhor,

a caminhar com Ele

e a ajoelhar-me diante dele.

Uma vez mais, dá-me Jesus,

o Deus feito homem,

o Pão eucarístico,

o critério e o objectivo fundamental

da nossa peregrinação terrena.

Joseph Ratzinger




II - Mãe, a tua missão...


Mãe,

a tua missão foi ser morada de Deus

para O dar ao mundo.

A grandeza da vocação humana

é sermos habitados por Deus,

vivermos a união com o Eterno,

fazer da criatura o reino do Criador,

fazer da humanidade o Reino de Deus,

fazer da terra o Reino dos Céus.


Tu, ó Mãe,

estás na origem desta nova criação,

és o barro que o Pai modelou para formar o novo Adão,

inauguras na tua carne o poder do Espírito.

Quem quiser entrar neste mistério

por ti terá de passar,

porque a santidade, afinal,

é amar Deus a viver em nós.

Então, estaremos na Paz;

a casa terrestre tornar-se-á casa celeste,

o pão da terra, o pão de Deus,

e a nossa vida, a Vida Eterna.


(inspirado em) Carlo Carreto




III - Salve, mística mesa...


Salve, mística mesa

que trouxeste o Pão de vida!

Salve, ó Soberana,

nascente inexaurível da água viva.



O teu seio tornou-se a santa mesa

que contém o Pão celeste,

Cristo nosso Deus.

Quem dele comer não morrerá,

como disse, ó Mãe de Deus,

Aquele que alimenta todas as coisas.


Ó toda santa,

mesa do Pão de vida

descido do alto para dar ao mundo uma vida nova,

concede-me que o saboreie com temor e viva dele.


Maria, Mãe de Deus,

venerável tabernáculo cheio de perfume,

pelas tuas orações

faz de mim um vaso de eleição

para que eu tenha parte

na santidade do teu Filho.



Oração bizantina




IV - Ó Maria, nova Eva...


Ó Maria, nova Eva,

queremos estar contigo, na Missa.


Em cada Eucaristia,

o teu «sim» de Mãe se une ao do Filho,

numa atitude de entrega ao Pai e a nós.

Cativa o nosso coração

e ensina-o a dizer «sim» também.


Ensina-nos a viver toda a verdade e riqueza

do teu «sim» de Nazaré e do Calvário.


Agradecemos o teu «sim»:

«sim» ao primado do Senhor na tua vida;

«sim» à certeza de que Ele é amor, mesmo quando tudo parece ruir;

«sim» a dar a vida, mil vezes que fosse, por Ele e pelos homens;

«sim» a esqueceres-te de ti mesma para sempre.


Que da nossa Assembleia Eucarística

se eleve sempre ao Céu, numa só voz,

um «sim» de Fé, de Esperança e de Amor.


Carlo Sacchetti (adaptado)




V - Ó Maria, tu és o trono de Deus...


Ó Maria,

tu és o trono de Deus,

o ostensório do seu amor.


És a custódia viva de Jesus.

Adoro Jesus em ti,

como adoro o Santíssimo Sacramento.


Tu és ostensório de Cristo

em Belém e na Apresentação,

em Canã e na Cruz,

na Eucaristia e no Céu.

Por isso, te rezamos:

«Depois deste desterro mostrai-nos Jesus,

bendito fruto do vosso ventre!»


Ó Maria, ensina-me a olhar,

a amar,

a desejar

e a adorar Jesus

com os teus próprios sentimentos.


Ó Maria,

leva-me a Jesus,

porque Ele é o caminho para o Pai.

E caminha comigo, num só Espírito,

no Espírito que te fecundou

e fez de ti Mãe de Deus e minha Mãe.


Edoardo Poppe (inspirado em)




VI - Maria, Mãe de Jesus...


Maria, Mãe de Jesus,

dá-me o teu coração tão belo,

tão puro e tão imaculado,

tão cheio de amor e de humildade,

a fim de que eu possa receber Jesus no Pão da vida,

amá-lo como tu O amaste

e servi-lo nos semblantes desfigurados

dos mais pobres entre os pobres.


Madre Teresa de Calcutá




VII - Mãe da Visitação


Mãe da Visitação,

que em teu seio aconchegavas Jesus

enquanto oferecias teus cuidados a Isabel e Zacarias,

ensina-nos a recebê-lo e a levá-lo,

na comunhão de cada Eucaristia

e na comunhão fraterna de cada dia.


Maria,

desperta-nos para a missão

de anunciar Jesus aos que vivem connosco,

com o espírito de mulher que quer ser mãe.


Que sejamos fiéis a esta divina missão,

a missão que o Pai do Céu te confiou

e que te dignaste, ó Maria,

partilhar connosco.


Carlos de Foucauld (inspirado em)




VIII - Foste às Bodas de Caná...


Foste às Bodas de Caná

juntamente com teu Filho.

Velaste que nada faltasse

e Ele manifestou a sua glória,

transformando a água em vinho,

para que os seus discípulos acreditassem.

E houve horas de alegria…


Ele, porém, sonhava com outra «hora», outro convite,

onde iria gritar «tenho sede»

e lhe dariam fel e vinagre.

E tu, de pé, junto à cruz,

irias ser o milagre

de te tornares Mãe de todos os homens.


Nesta Eucaristia, Ceia-memorial,

da nova e eterna aliança,

apressa o milagre da conversão

do nosso tédio em fervor

do egoísmo em comunhão,

do desalento em esperança,

do profano em sagrado,

do terreno em celeste.


Que nesta Eucaristia haja festa

e se manifeste a glória de Jesus

para que todos os homens acreditem.


E nas horas de Calvário

mantém-nos de pé, a teu lado,

e ajuda-nos a aceitar

ser mãe dos filhos de Deus.


David Maria Turoldo (inspirado em)




IX - Santa Maria! Tu és a Mesa da Eucaristia...


Santa Maria!


Tu és a Mesa da Eucaristia.

À tua volta se reúne a Igreja para ouvir a Palavra;

sobre ti se parte e reparte o Pão do Céu.


Tens o poder de reunir e unir

todos os filhos dispersos pelo pecado.


Santa Maria!


Alimenta nas nossas Igrejas

o desejo ardente de comunhão.

Desperta em todos os povos da terra,

dilacerados pelo ódio

e divididos pelos interesses,

a nostalgia da única mesa;

de modo que, formando uma só família,

todos pronunciemos palavras de Verdade

todos comamos pães de Justiça e Caridade.


Que os teus olhos de Mãe

brilhem de alegria,

por contemplarem os teus filhos da terra

ansiosos por uma comunhão

semelhante à que gozam os teus filhos do Céu.


Tonino Bello (inspirado em)




X - Mãe de Deus, que, ao Messias sacerdote...


Mãe de Deus,

que, ao Messias sacerdote,

deste o corpo de carne:

guarda os sacerdotes

no teu coração e na Igreja.


Mãe da Igreja,

que entre os discípulos no Cenáculo

oravas ao Espírito

pelo novo povo e seus Pastores:

obtém para a ordem dos presbíteros a plenitude dos dons.


Mãe de Jesus Cristo,

que estavas com Ele no início da sua vida e da sua missão,

O procuraste como Mestre na multidão,

O viste elevado da terra,

consumido pelo sacrifício único eterno,

e tinhas junto de ti João, teu filho:

acolhe, desde o início, os chamados,

protege o seu crescimento

e acompanha na vida e no ministério os teus filhos sacerdotes.


Papa João Paulo II




XI - Ó Maria, diante do teu mistério...


Ó Maria,

diante do teu mistério,

somos impotentes e mudos.


Experimentaste

a força do amor de Deus por nós;

sentiste Jesus a sair dos teus braços

para se entregar em nossas mãos;

sofreste a nossa maldade

quando cravámos no madeiro

o fruto das tus entranhas.


Por tua dor junto à Cruz,

obtém-nos a graça de participarmos

na Redenção de Teu Filho,

assumindo um coração semelhante ao teu,

um coração de total abandono nas mãos do Pai.


Carlo Maria Martini (inspirado em)




XII - Ao pé da tua cruz, ó Jesus...


Ao pé da tua cruz, ó Jesus,

está como discípulo amado

aquele que, a partir daquela hora,

acolhe consigo a tua Mãe.


Do alto da tua cruz, ó Jesus,

olhas hoje para mim compadecido

e dizes, mais uma vez, a tua Mãe:

«Mulher, eis aí o teu filho»


Ao pé da tua cruz, ó Jesus,

me consagro de corpo e alma a Maria,

e abençoas meu propósito de a amar

repetindo: «filho, eis a tua Mãe»


Do alto da tua cruz, ó Jesus,

faz descer sobre mim esta graça:

eu surgir no teu reino glorioso

conduzido pelo braço de tua e minha Mãe.


inspirado em Karl Rahner




XIII - Ó Virgem Santa, Senhora da confiança...


Ó Virgem Santa,

Senhora da confiança,

a ti nos confiou Jesus bendito,

no momento extremo do sacrifício de sangue.


Temos a certeza da tua intervenção.


Vela, pois, maternalmente por nós,

como outrora alegraste com o teu sorriso

os Apóstolos no Cenáculo.


Faz com que ninguém pense

que pode edificar um mundo novo sem o teu Filho,

que é o Salvador do mundo,

o Caminho, a Verdade e a Vida.


Defende-nos dos perigos da alma e do corpo.

Socorre os miseráveis, dá coragem os fracos,

consola os angustiados, cura os doentes,

ora pelo teu povo e intercede, benévola, pelo clero.


Acolhe a todos, ó Mãe, e a todos escuta.


Todos somos teus filhos.


Ámen.


Papa João XXIII




XIV - Ave, verdadeiro corponascido da Virgem Maria!...


«Ave, verdadeiro corpo

nascido da Virgem Maria!»


Alegra-te, ó cheia de graça:

Deus Salvador está em ti.


Santa Maria, Mãe de Deus,

intercede, agora, por nós!

Que o corpo que formaste nos transforme,

o corpo que amaste nos purifique,

o corpo que alimentaste nos sacie,

mas nos deixe com fome de justiça.

Que o corpo que cuidaste nos santifique,

o corpo que ofereceste nos reúna,

o corpo que formaste nos faça transformar o mundo.


Que o corpo que amaste

purifique todos os amores,

o corpo que alimentaste nos faça mitigar todas as fomes dos homens.

Que o corpo de que cuidaste

nos faça atentos a todas as misérias.

Que o corpo que ofereceste

nos tome pacientes construtores da cidade do amor.


Albert Tostain




XV - Ó Virgem fiel, com teu perfeito «sim»...


Ó Virgem fiel,

com teu perfeito «sim»

transfiguraste a tua vida e a nossa!


Ensina-nos a escutar

com adesão plena, como a tua.

Ajuda-nos a compreender que, como cristãos,

se cresce muito mais ouvindo que falando,

muito mais acreditando que vendo.

Faz com que o nosso humilde «sim»

permita que a nossa vida

transborde da santidade de Deus,

de modo que possamos ser

mais completamente seus filhos.


Viste Jesus com os teus olhos: fala-nos dele!

Ouviste as suas palavras: repete-no-las

e guarda-as no nosso coração!


Maria, fala-nos de Jesus,

dá-nos Jesus.


A todos, ó Mãe,

dá o teu Jesus.


Anastasio Ballestrero




XVI - Ó Maria, Mulher Eucarística...


Ó Maria, Mulher Eucarística!


Ainda estavas no seio materno,

cândido lírio de uma raiz santa,

quando o Pai olhou para ti e te sorriu,

pondo em ti o seu selo.


Tu eras o santo tabernáculo,

a arca de ouro inteiramente cinzelada

preparada para acolher o maná,

o pão vivo descido do Céu.


Como eras bela, Maria, como eras bela,

quando o anjo te veio dizer «Ave»!

Ave, ó cheia de graça, amada pelo Amor!


E o Verbo eterno enxertou-se na tua carne.

Fermentada pela sua presença,

a tua carne emanava fragrâncias de pão

e, desde aquele dia,

toda a terra

se tornou campo de seara abundante.


Ó Maria, arca do Santo,

como eras grande enquanto subias a visitar Isabel!

À tua passagem, inclinavam-se os montes

e os vales saltavam de alegria.

Mas foi em Belém, «casa do pão»,

que todo o Céu desceu à terra

para cantar «glória» ao Unigénito de Deus,

nascido do teu seio virginal.


Ó Maria,

aquele que amamentaste ao teu seio

quis fazer-se nossa comida e nossa bebida,

pão de vida, para os condenados à morte.


E tu,

- que não te sentaste

à mesa da Última Ceia,

quando Ele entregava aos Apóstolos o seu Corpo, teu corpo,

e o seu Sangue, teu sangue -

permaneceste até ao fim no Calvário,

onde, realizado o sacrifício da cruz,

começou o sacrifício do altar

e aquele que saiu vitorioso do sepulcro

se encerrou no sacrário, por nós e para nós


Sempre e em toda a parte onde Ele se encontre,

tu és, Maria, o seu ostensório,

o seu esplendoroso trono real.

Com imenso afecto te veneramos,

ó Virgem, Mulher Eucarística,

mesa que apresenta «o pão suavíssimo»

a todos nós pobres famintos,

mendigos de bondade e de amor.


Anna Maria Cànopi




XVII - Tu, ó Maria, és o ideal perfeito do discípulo...


Tu, ó Maria,

és o ideal perfeito do discípulo.

Ajuda-nos a caminhar como tu e contigo,

na caminhada da contemplação activa e amorosa;

na via do dom interior, sem nenhuma reserva;

na via do silêncio que adora e louva o Senhor;

na via da fidelidade absoluta

mesmo quando exige um alto custo;

na via da cruz, nesta via-sacra,

partilhada com Deus e com os irmãos

em cada estação da vida;

na via da esperança,

radicada nas promessas de Deus;

para sermos dignos de te seguir no caminho do Céu

que, como verdadeira mãe, percorreste,

abrindo-o também para cada um de nós, teus filhos,

ainda exilados entre as páginas da história.

Ámen.

Averardo Dini




XVIII - Divina Eucaristia, foste-me dada por Maria...


Divina Eucaristia,

foste-me dada por Maria!


Eu não te teria,

se Maria não tivesse consentido

em tornar-se tua Mãe,

ó Verbo encarnado.


Não te posso separar de Maria,

nem separar Maria de ti!


Salve, ó corpo

nascido da Virgem Maria!

Salve, ó Maria,

aurora da Eucaristia!


Ó doces amores,

vós formais «um único» no meu coração:

de ti, ó santo amor, eu quero arder!


Ó Maria, minha Mãe!

Ó Divina Eucaristia!


Maria Candida dell'Eucaristia




XIX - Virgem da Páscoa, escuta-nos...


Virgem da Páscoa, escuta-nos.


Estamos aqui para te agradecer.

Obrigado, Senhora, pelo teu sim.

Pela tua disponibilidade total em servir.

Pela tua pobreza e pelo teu silêncio.

Pela alegria com que abraçaste os sofrimentos da tua vida,

dando-nos a paz.

E obrigado, por teres ficado connosco,

apesar do tempo e das distâncias.


Ensina-nos, Maria,

a sermos gratos e alegres em todas as ocasiões.

Ensina-nos a sempre dizer sim, com toda a alma.

Vem à pobreza do nosso coração dizê-lo por nós.

Acompanha-nos sempre

na nossa caminhada para o Pai.

Põe no começo e no fim da nossa estrada as tuas palavras:

«Sim» e «Magnificat».

Ensina-nos que a vida deve ser sempre um «sim» e um «obrigado». Ámen.

Assim seja.


Eduardo Pironio




XX - Maria, serva do Senhor...


Maria, serva do Senhor,

conheces todas as nossas feridas, as nossas chagas.

Também conheces o esplendor celeste

que o amor do teu Filho

gostaria de derramar sobre nós no esplendor eterno.

Por isso, guia os nossos passos com cuidado.

Nenhum preço é demasiado alto se nos conduz à meta.

Mas aqueles que escolheste para te seguir,

para, um dia, te rodearem junto do trono eterno,

devem ficar contigo ao pé da cruz;

é com o sangue dos seus sofrimentos

que eles devem alcançar

o esplendor celeste das almas preciosas

que o Filho de Deus lhes confiou como herança.


Edith Stein




XXI - Mãe, não quero nada...


Mãe, não quero nada.

Vim apenas para te ver...


Em nome de todos os homens que vivem a suplicar-te,

em nome de todos os irmãos

que só se aproximam de ti de mãos estendidas,

deixa que eu esqueça um momento o vale de lágrimas,

a terra das tristezas,

nossa miséria de mendigos,

nossa pobreza de criaturas,

nossa tristeza de pecadores,

para te saudar.


Rainha dos Anjos,

Virgem-Mãe de Deus!


Bendito seja o Criador de teu olhar boníssimo

que tem o dom de acender a esperança nas almas desalentadas,

nos corações em desespero,

à beira do abismo, do irremediável, do fim!


Bendito seja o Criador de tuas mãos sem mancha,

por onde passa toda a luz

que tomba sobre a escuridão dos homens


Bendito seja o Criador de tua sombra suavíssima,

pois já notei, Mãe querida,

que bastam a tua lembrança, o teu perfume,

para encher o vazio da vida, a solidão do homem.


Mãe, não quero nada.

Vim apenas para te ver...


Dom Hélder Câmara




XXII - Irmã peregrina dos pobres de Javé...


Irmã peregrina dos pobres de Javé,

Profetisa dos pobres libertados,

Mãe do Terceiro Mundo,

Mãe de todos os homens deste único mundo,

porque és a Mãe de Deus feito homem.

Com todos os que crêem em Cristo

e com todos aqueles que de algum modo procuram o seu Reino,

nós te invocamos, ó Mãe,

para que Lhe fales de todos nós.


Pede a Ele, que se tornou pobre,

que nos comunique as riquezas de seu amor,

que sua Igreja se despoje, sem subterfúgios,

de toda a outra riqueza.


A Ele, que morreu na cruz para salvar os homens,

pede-Lhe que nós, seus discípulos,

saibamos viver e morrer pela total libertação de nossos irmãos.

Pede-Lhe que nos devore a fome e a sede

daquela justiça que despoja e redime.


A Ele, que derrubou o muro da separação,

pede-Lhe que todos nós, que trazemos o selo de Seu nome,

procuremos de facto, acima de tudo o que divide,

aquela unidade reclamada por Ele mesmo em testamento

e que só é possível na liberdade dos filhos de Deus.


Pede-lhe, a Ele que vive ressuscitado junto do Pai,

que nos comunique a força jubilosa de Seu Espírito,

para que saibamos vencer o egoísmo, a rotina e o medo.


Mulher camponesa e operária,

nascida numa colónia

e martirizada pelo legalismo e hipocrisia:

ensina-nos a ler sinceramente o Evangelho de Jesus

e a traduzi-lo para a vida

com todas as revolucionárias consequências,

no espírito radical das bem-aventuranças

e no risco total daquele amor

que sabe dar a vida pelos que ama. Por Jesus Cristo,

teu Filho e Filho de Deus, nosso Irmão.


Dam Pedra Casaldáliga





Hinos Litúrgicos Maria

I - Virgem Mãe do mesmo Deus..


Virgem Mãe do mesmo Deus,

Virgem filha de teu Filho,

Não há estrela de mais brilho

Nesses céus.


De olhar fito nesse olhar,

De olhos fitos nesses olhos,

Não há baixos, não há escolhos

Neste mar.


Vem a onda, sobrevém

Nova onda e nada teme

Quem te vê guiando o leme,

Virgem Mãe.


Tu guardaste em gozo e dor

Sempre na alma a paz de um templo;

Foste em vida nosso exemplo,

Mãe de Amor.


Navegando mas de pé

Neste mar cavado embora,

Vou na barca salvadora

Que é a Fé.


Não me assusta a multidão

De inimigos que me agride:

Contra a Torre de David

Tudo é vão.


Por feroz que esteja o mar

De repente forma um lago:

Basta um só reflexo vago

Desse olhar.


Esse olhar é quem a mim

Me encaminha e me socorre:

O meu norte é só a Torre

De Marfim.


Meu farol, refúgio meu,

Sol que dia e noite brilha,

Mãe de Deus e de Deus Filha,

Mãe do Céu.




II - Salve, Mãe de piedade...


Salve, Mãe de piedade,

Mãe de Deus, Mãe do perdão,

Mãe da esperança, Mãe da graça

E Mãe da santa alegria.


Salve, ó Virgem Mãe de Deus:

O Unigénito do Pai,

Que governa céus e terra,

Quis nascer como teu Filho.


Deus, que Te fez sem igual,

Vendo em Ti a humilde serva,

Para Esposa Te escolheu,

Ó bendita entre as mulheres.


Glória ao Pai que Te criou,

Glória ao Filho que nos deste

E ao Espírito por quem és

Mãe de Deus e Mãe dos homens.




III - Avé, Maria, Mãe da Esperança...


Avé, Maria,

Mãe da Esperança,

Cheia de graça!

Avé Maria!


Ditosa Virgem sois Vós, Maria,

De cujo seio Cristo nasceu:

Sois nascente da eterna graça,

Sois a formosa porta do Céu!


Eternamente por Deus pensada,

Sois maravilha do seu amor;

Em vós, Senhora, Deus Se contempla,

Mãe gloriosa do Redentor!


Imaculada, cheia de graça,

Sois a alegria da santa Igreja;

Todas as gentes hão-de aclamar-vos:

Salve, Rainha! Bendita seja!


Sois a mais bela das criaturas,

De Deus Esposa, Mãe de Jesus:

Sois Mãe dos homens, por vós gerados

Do mesmo sangue dado na Cruz.


Salvé, Mãe santa, por quem o mundo

A paz divina dos Céus alcança;

Do Céu à terra sois o caminho

Donde vem Cristo, Rei da Esperança.




IV - Salve, estrela do mar...


Salve, estrela do mar,

Mãe do Verbo de Deus,

Virgem pura entre as virgens,

Feliz porta do Céu.


Saudada pelo Arcanjo;

“Ave, cheia de graça”.

Dá-nos a tua paz,

Mudando o nome de “Eva”.


Quebra ao preso as cadeias,

Dá aos cegos a vista,

Afugenta a desgraça,

Traz-nos todos os bens.


Mãe de Deus, nossa Mãe,

Ouça os nossos pedidos

Aquele que por nós

Quis chamar-Se teu Filho.


Virgem incomparável,

Mãe de misericórdia,

Liberta-nos da culpa,

Faz-nos mansos e castos.


Dá-nos a vida pura

E o seguro caminho,

Para que, vendo o teu Filho,

Sempre nos alegremos.


Glória a Deus, Pai Eterno,

Glória ao Filho, Senhor,

Com o Espírito Santo,

Agora e para sempre.




V - Ó gloriosa Senhora do mundo...


Ó gloriosa Senhora do mundo,

Excelsa princesa do céu e da terra,

Formosa batalha de paz e de guerra,

Da santa Trindade secreto profundo!

Santa esperança, ó Madre de amor,

Ama discreta do Filho de Deus,

Filha e Madre do Senhor dos Céus,

Alva do dia com mais resplendor!


Formosa barreira, ó alvo e fito,

A quem os profetas direito atiravam!

A ti, gloriosa, os Céus esperavam,

E as três pessoas um Deus infinito.

O cedro nos campAos, estrela no mar,

Na serra ave Fénix, uma só amada,

Uma só sem mácula e só preservada,

Uma só nascida, sem conto e sem par!


Do que Eva triste ao mundo tirou

Foi o teu fruto restituidor;

Dizendo-te Ave o embaixador,

O nome de Eva te significou.

Ó porta dos paços do mui alto Rei,

Câmara cheia do Espírito Santo,

Janela radiosa de resplendor tanto,

E tanto zelosa da divina lei!


Ó mar de ciência, a tua humildade,

Que foi senão porta do céu estrelado?

Ó fonte dos anjos, ó horto cerrado,

Estrada do mundo para a divindade,

Quando os anjos cantam a glória de Deus,

Não são esquecidos da glória tua;

Que as glórias do Filho são da Madre sua,

Pois reinas com Ele na corte dos Céus.


E (nós) que faremos os salvos por Ela,

Nascendo em miséria, tristes pecadores,

Senão tanger palmas e dar mil louvores

Ao Pai e ao Filho e Espírito, e a Ela!




VI - Rainha celestial...


Rainha celestial,

Reparo das nossas dores,

Grandes são os teus louvores.


Senhora como nasceste,

Tua virtude foi tanta

Que aquela embaixada santa

Com grande fé mereceste.

Tão continente viveste

Que não bastam oradores

Recontar os teus louvores.


A mercê que alcançaste

Nossa vida reparou,

Pois com teus peitos criaste

Aquele que te criou.

Foste causa que mudou

O grão senhor dos senhores

Em prazer as nossas dores.


Ó fonte de piedade

E mãe de misericórdia,

Quem de ti não faz memória

Vai mui longe da verdade.

És cheia de caridade

E de tamanhos primores

Que são grandes teus louvores.


Mitiga nossos tormentos

Que com tantos males crescem,

Pois nossos merecimentos

Sem os teus nada merecem.

Socorro dos que padecem

Que sejamos pecadores

Faze-nos merecedores.




VII - Ó Maria, Doce porto, certa guia...


Ó Maria,

Doce porto, certa guia,

Gloriosa Virgem pura,

Qual Mãe sua vos faria,

Quem fez toda a formosura?


Sois Aquela

Que do mar se chama estrela,

Dos tristes consolação,

Rosa que se criou nela

Toda a nossa Redenção.


Sois Rainha

Do Céu; mas nossa vizinha,

Tão solícita de nós,

Que menos tarda a mezinha

Do que chamamos por vós.


Sois Senhora

Que duma alma pecadora

Que vos tem por advogada

Do mesmo Deus que em vós mora

A quereis fazer morada.




VIII - Louvada seja na terra...


Louvada seja na terra

A Virgem Santa Maria:


Quer nas horas de tristeza,

Quer nas horas de alegria;

Quer sobre as ondas do mar,

Lá com a morte à porfia;

Quer nos escuros caminhos

Pelas noites de invernia;

Quer no lume da lareira,

Quer no sol quando alumia;

Quer no amor de toda a hora,

Quer no pão de cada dia...


Louvada seja na terra

A Virgem Santa Maria!




IX - Ó Senhora imaculada, silenciosa...


Ó Senhora imaculada, silenciosa,

De sorriso virginal,

Frescura envolvida na canção formosa

Do amanhecer inicial!


Senhora do vestido simples da graça

Que íntima aurora Te deu,

Florindo, sobre a luz da terra que passa,

A luz primeira do céu.


Senhora, o teu celeste olhar de padroeira

Floresça em nosso interior,

Abrindo a senda da pureza verdadeira

Que nos conduza ao Senhor.




X - Virgem soberana...


Virgem soberana,

De outros cantos digna;

Falta a voz humana,

Canta a voz divina!


Sois cedro no Líbano,

Em Cádis sois palma;

Remédio do dano,

Vida da nossa alma.


Sois esquadrão forte,

Torre em alto erguida;

Escudo da morte,

Doçura da vida!


Fostes escolhida

Por nossa desculpa,

Sem culpa nascida,

Remédio da culpa.


Sois fonte suave,

Alívio dos tristes;

Sois do Céu a chave,

Vós o Céu abristes.


Quanto o sol rodeia,

Quanto o mar abraça,

Tudo encheis de graça:

Sois de graça cheia.




XI - Ó Virgem sagrada...


Ó Virgem sagrada,

Rainha dos Céus,

Centelha do mundo

Eleita por Deus,

Escudo e amparo

Dos pobres mortais,

Por tudo o que existe,

Bendita sejais.


Farol entre as trevas

Com luz que é só flor,

Estrela fulgente

Cada vez maior,

Presença radiosa

Que em tudo se vê,

Lembrai-Vos dos homens

E dai-lhes a fé.


Perdão sempre pronto

Aos erros do mundo,

Mão ágil salvando

Do abismo profundo,

Caminho seguro

Que o Céu sempre traz,

Lembrai-Vos dos homens

E dai-lhes a paz.


Mãe pura e clemente

Que o mundo não esquece,

Sorriso perene

Que sempre aparece,

Coração aberto

A tudo o que é dor,

Lembrai-Vos dos homens

E dai-lhes o amor.


Ó Virgem sagrada,

Rainha dos Céus,

Centelha do mundo

Eleita por Deus,

Escudo e amparo

Dos pobres mortais,

Por tudo o que existe

Bendita sejais.




XII - Guardai-nos, Senhora...


Guardai-nos, Senhora,

Rainha dos, Céus.

Celeste Pastora

Do povo de Deus.


Virgem Mãe, Filha sois de vosso Filho,

De toda a criatura a mais excelsa,

Humilde sois estrela de alto brilho.


Tão pura entre os humanos haveis sido,

Que o mesmo Criador em vosso seio

Não desdenhou ser Homem concebido.


Vós sois, Senhora, a luz que nos alcança

Ventura e caridade entre os mortais,

Vós sois a fonte viva da esperança.


Senhora sois de tão grande poder,

Que desejar sem Vós divinas graças.

E qual querer voar sem asas ter.


Em Vós misericórdia, em Vós piedade,

Em Vós magnificência; em Vós se encontra

Quanto nas criaturas é bondade.


Por vossa muita graça e protecção

Guiai os nossos passos no caminho,

Senhora, que nos leve à salvação.




XIII - Rainha celestial, Reparo das nossas dores...


Rainha celestial,

Reparo das nossas dores,

Grandes são os teus louvores.


Senhora, como nasceste,

Tua virtude foi tanta

Que aquela embaixada santa

Com grande fé mereceste.

Tão continente viveste

Que não bastam oradores

Recontar os teus louvores.


A mercê que alcançaste

Nossa vida reparou,

Pois com teus peitos criaste

Aquele que Te criou.

Foste causa que mudou

O grão Senhor dos senhores

Em prazer as nossas dores.


Ó fonte de piedade

E Mãe de misericórdia,

Quem de Ti não faz memória

Vai mui longe da verdade.

És cheia de caridade

E de tamanhos primores

Que são grandes teus louvores.


Mitiga nossos tormentos

Que com tantos males crescem.

Pois nossos merecimentos

Sem os teus nada merecem.

Socorro dos que padecem

Que sejamos pecadores,

Faze-nos merecedores.




XIV - Nasceu a Virgem Maria...


Nasceu a Virgem Maria,

Como promessa de Deus,

Como nasce a luz do dia,

Que inunda a terra e os céus.


Vem cumprir a profecia

Deste mistério profundo:

Era nela que nascia

A Mãe de Deus sobre o mundo.


Em Nazaré, pobre aldeia,

De gentes simples, obscuras,

Foi como se a Lua Cheia

Enchesse de ouro as alturas.


Louvor a Deus uno e tino,

Porque em Maria nos deu,

Em lugar tão pequenino,

Toda a grandeza do Céu.




XV - Convosco, Virgem Maria...


Convosco, Virgem Maria,

Vencedora da Serpente,

Convosco nasceu o dia

Da manhã mais refulgente.


Quando Deus vos escolheu

Para nos dardes Jesus,

Foi a alegria do Céu

Que encheu o mundo de luz.


Sem pecado concebida,

Isenta de todo o mal,

Sois a vara reflorida

Dá velha estirpe real.


Mas vossa maior grandeza,

Na terra como nos Céus,

Vem da excelsa realeza

De serdes a Mãe de Deus.


Os Anjos cantam nos Céus,

Na terra cantamos nós.

Louvamos convosco a Deus,

Louvamos a Deus por Vós.




XVI - Quem Vos escolheu...


Quem Vos escolheu,

Rainha dos Céus,

Foi o mesmo Deus

Que de Vós nasceu:

De Vós procedeu

Vossa eterna vida,

Virgem escolhida.


Muito alcançastes,

Muito merecestes,

Porque muito amastes,

Muito padecestes:

Virgem que nos destes

O Autor da vida,

Virgem escolhida.


Os vossos louvores

Não podem ser ditos,

Que são infinitos,

Cada vez maiores:

Destes fruto e flores,

Destes-nos a vida,

Virgem escolhida.


O Sol, as estrelas,

Os lírios, as rosas,

Sendo mais formosas,

Vós o sois mais que elas:

Das coisas mais belas

Fostes escolhida

Para nos dar vida.




XVII - Estava a Mãe dolorosa..


Estava a Mãe dolorosa,

Junto da cruz, lacrimosa,

Enquanto Jesus sofria.


Uma longa e fria espada,

Nessa hora atribulada,

O seu coração feria.


Oh quão triste e quão aflita

Padecia a Mãe bendita,

Entre blasfémias e pragas,


Ao olhar o Filho Amado,

De pés e braços pregado,

Sangrando das Cinco Chagas!


Quem é que não choraria,

Ao ver a Virgem Maria,

Rasgada em seu coração,


Sem poder, em tal momento,

Conter as fúrias do vento

E os ódios da multidão!


Firme e heróica no seu posto,

Viu Jesus, pendendo o rosto,

Soltar o alento final.


Ó Cristo, por vossa Mãe,

Que é nossa Mãe também,

Dai-nos a palma imortal.




XVIII - Maria, fonte de amor...


Maria, fonte de amor,

Fazei que, na vossa dor,

Convosco eu chore também.


Fazei que o meu coração

Seja todo gratidão

A Cristo, de quem sois Mãe.


Do vosso olhar vem a luz

Que me leva a ver Jesus

Na sua imensa agonia.


Convosco, ó Virgem, partilho

Das penas do vosso Filho,

Em quem minha alma confia;


Mãos postas, à vossa beira,

Saiba eu, a vida inteira,

Guiar por Vós os meus passos.


E quando a morte vier,

Eu me sinta adormecer

No calor dos vossos braços.




XIX - Virgem das virgens, Rainha...


Virgem das virgens, Rainha,

Mãe de Deus, Senhora minha:

Chorar convosco é rezar.


Cada lágrima chorada

Lembra uma estrela tombada

Do fundo do vosso olhar.


No Calvário, entre martírios,

Fostes o Lírio dos lírios,

Todo orvalhado de pranto.


Sobre o ódio que O matava,

Fostes o Amor que adorava

O Filho três vezes santo.


A cruz do Senhor me guarde,

De manhã até à tarde,

A minha alma contrita.


E quando a morte chegar,

Que eu possa ir repousar

À sua sombra bendita.




XX - Tu, Virgem pura, santa, Ave Maria...


Tu, Virgem pura, santa, Ave Maria,

Cheia de graça, Esposa, Filha e Madre,

Mais formosa que o sol ao meio dia,


Que vás buscando ao Esposo, Filho e Padre,

Qual cordeira perdida da manada,

Sem guarda de pastor nem cão que ladre;


Vai, Rainha dos Anjos mui amada,

E preciosa pedra adamantina,

De perfeições e graças esmaltada;


Vai, estrela do mar; vai, luz divina,

Escolhida do Céu; vai, cordeirinha,

Branca açucena e rosa matutina;


Vai, caminho da glória, vai, pombinha

Branca sem fel; bendita entre as mulheres;

Vai, Mãe da Lei da graça, vai asinha;


Vai ao monte Calvário, se ver queres

Ao teu precioso Filho antes de morto,

Desconsolada vai; vai, não esperes!


Ao qual acharás bem sem conforto,

Posto na Cruz, por partes mil chagado,

Por nos dar sossego e manso porto.




XXI - Virgem dolorosa...


Virgem dolorosa,

Que aflita chorais,

Virgem magoada:

Bendita sejais!


Que duras espadas,

Que duros punhais

Ferem vosso peito:

Bendita sejais!


Nasce no presépio,

Entre os animais,

O Senhor do mundo:

Bendita sejais!


Quando vai crescendo

O Filho que amais,

Crescem vossas dores:

Bendita sejais!


No templo sagrado

Absorta escutais

Tristes profecias:

Bendita sejais!


Ainda não chegaram,

Já Vós suportais

As dores futuras:

Bendita sejais!


Uma voz do céu

Manda que fujais

Da fúria de Herodes:

Bendita sejais!


Anjos do Senhor

Que a acompanhais,

Cantai-lhe, cantai-lhe:

Bendita sejais!




XXII - Vosso amado Filho...


Vosso amado Filho

Aflita buscais,

Virgem lacrimosa:

Bendita sejais!


Que espada Vos fere

Quando O encontrais

Com a cruz pesada:

Bendita sejais!


No Calvário vedes

O Filho que amais

Morrer transpassado:

Bendita sejais!


Já tendes nos braços

E já contemplais

Vosso Filho morto:

Bendita sejais!


Vai para o sepulcro,

Sem Ele ficais,

Virgem dolorosa:

Bendita sejais!


Das lágrimas puras

Que Vós derramais

Nós somos a causa:

Bendita sejais!




XXIII - Ó Senhora imaculada, silenciosa...


Ó Senhora imaculada, silenciosa,

De sorriso virginal,

Frescura envolvida na canção formosa

Do amanhecer inicial.


Senhora do vestido simples de graça

Que íntima aurora Te deu,

Florindo, sobre a luz da terra que passa,

À luz primeira do Céu.


Senhora, o teu celeste olhar de padroeira

Floresça em nosso interior,

Abrindo a senda da pureza verdadeira

Que nos conduza ao Senhor.




XXIV - Mãe virginal, que anuncias o dia...


Mãe virginal, que anuncias o dia

Da salvação dos homens desterrados,

Quiseste construir a tua vida

Na vontade do Pai.


Nem medo nem recusa perturbaram

A graça que em Ti cumpre a sua obra:

Ofereceste a Deus aquele silêncio

Onde habita a Palavra.


Em Ti desponta a aurora da justiça,

O mistério do reino que há-de vir;

A sombra do Espírito que desce

Teu coração preserva.


Maria, serva, esposa, soberana,

És nova Eva, Mãe dos tempos novos,

No sangue de teu Filho resgatada

Em sua própria fonte.


Por Ti, Maria, Mãe imaculada,

Ao Céu se eleve o nosso humilde canto:

Louvor e glória a Deus três vezes santo,

Por toda a eternidade.




XXV - Virgem pura, nascida sem pecado...


Virgem pura, nascida sem pecado,

Que em teu seio trouxeste o Salvador,

O mundo deixa a noite do seu erro

Para saudar a luz do novo dia.


A Mulher da promessa vence a morte,

Em Ti floresce a graça original.

A nossa terra já não é maldita,

Pois guarda em si o fruto prometido.


Bendita és Tu, Senhora, nas alturas,

Bendita, neste mundo, Te cantamos,

Porque a esperança da nossa redenção

Dos teus braços maternos esperamos.


Celebremos a festa de Maria,

Concebida sem mancha original,

E cantemos a glória de seu Filho

Das colinas eternas desejado.


Contigo, Virgem santa, imaculada,

Estrela da manhã do mundo novo;

Se elevem nossos cânticos e hinos

Em louvor da Santíssima Trindade.




XXVI - Toda formosa, alegres Te cantamos...


Toda formosa, alegres Te cantamos,

Ó Mãe do Amor formoso e nossa Mãe

A sombra do pecado não tocou

Teu ser imaculado.


Glória do nosso povo e do seu templo,

Honra da Igreja e seu modelo vivo,

Senhora, faz que pela vida fora

Sigamos os teus passos.


Teu rosto é puro como o sol ardente.

Teus vestidos de neve como a graça.

Assim cheguemos com a tua ajuda

Ao termo da jornada.


Com palavras do Anjo Te saudamos,

Virgem da Conceição, nossa Rainha:

És bendita entre todas as mulheres,

O Senhor é contigo.


Contigo, ó Virgem, Estrela da manhã,

Se elevem nossos hinos de louvor

Ao Pai e ao Filho e ao Espírito Paráclito,

Por toda a eternidade.





SOBRE NÓS

Confraria de Nossa Senhora do Rosário do Monte da Franqueira na prossecução da excelência.


 

LOCALIZAÇÃO

Largo da N. S. da Franqueira, n.º 145
4755-406
Pereira BCL

 

n.s.franqueira@gmail.com

REDES SOCIAIS
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • YouTube - círculo cinza

© 2018 Santuário Nossa Senhora da Franqueira.