PATRIMÓNIO ARQUITECTÓNICO

Ignora-se a data exacta da construção desta ermida. Contudo, porque estes acontecimentos remontam ao primeiro quartel do século XII, sem margem de dúvidas podemos afirmar, que ela foi edificada antes do reconhecimento oficial do Reino de Portugal.

A primitiva ermida, que como tudo leva a crer estaria confinada à actual capela-mor, é toda em abóbada gótica, salientando-se as suas nervuras e, “o altar-mor é de jaspe com três colunas da mesma pedra, antiga mesa que o Duque D. Afonso, oitavo Conde de Barcelos” e primeiro Duque de Bragança, filho bastardo de D. João I, “trouxe de Ceuta, aquando da conquista daquela praça de guerra, no tempo do rei D. João I, em 1415” (Teotónio da Fonseca, um ilustre barcelense que escreveu “Aquém e Além Cávado).

 

A capela-mor, de assinalável valor artístico, é de estilo românico, sendo vagamente iluminada por uma rasgada janela e, como quase todas as construções medievais destinadas ao culto católico, está voltada a ocidente.